6 de novembro de 2018

Decoração by Rogério Paulino
Casamento Paula e Tadeu 

Eles chegaram da mesma forma de tantos outros. Da mesma forma de pelo menos 80% dos meus casais. Através de outros casais. Noivos e noivas (especialmente) q me abraçam, acreditam no q eu digo e, não fosse suficiente eles mesmos acreditarem, ainda me indicam aos amigos, o q considero uma imensa responsabilidade. Cerimonial é abstrato. Difícil mostrar o q se faz. Atualmente, tenho ouvido um papo de aplicativos. Ok, mega fã de aplicativos. Podem complementar e contribuir muito no casamento, na vida, no cotidiano. Mas, é complemento. Complemento com receita pronta, exata, vc instala, segue os passos e fim. O fato é q casamento não é matemática, nem receita pronta. Cada qual com seus protagonistas e suas demandas. Se aplicativo conseguir suprir, a profissão perde sua essência, como ouvi um fofo dizer dia desses e concordei plenamente. Se for sem essência, não me é mais essencial. Parto para velhice no interior, um sonho q tenho para o fim da minha vida.

O post é deles e não meu, voltemos aos noivos, Paula e Tadeu. Vieram juntos e assim estiveram do início ao fim. Construíram cada passo a 4 mãos, td com dedo dela, dele e, qse sempre, dos dois. Não sei se visitaram outros cerimoniais, mas foram muito decididos, qdo me presentearam com seu sim. Acreditaram em tudo. Investiram no projeto, entrando com tudo e não poupando esforços p definirem a dedo cada escolha. Do espaço mais lindo, ao vestido mais caro da loja, passando pelo convite elegantérrimo, aos sabores deliciosos a serem oferecidos aos seus convidados, chegando ao decorador com quem tenho uma afinidade profissional q transcendeu e virou amor pessoal (aliás, obg por enviar as imagens, @rogeriopaulino). Esses foram Paulinha e Tadeu. Esses são meus casais. Sensacionais e especiais. Q tornam prazer o trabalho em uma festa com 9h de duração, mais a cerimônia, mais pré e pós evento. Só com galera assim, a gente sai de uma maratona tão longa com sorriso no rosto e vontade de repetir desde o início. 

Educados e intensos. Entusiasmados. Quietinhos e presentes, se é q tem como explicar essa contraposição. Queridos o tempo todo, no sentido mais estimado da palavra. Leves! Ando curtindo leveza de alma, viu! Um pouco malucos, diga-se, qd lembro q ele operou não sei qts pacientes na véspera do casamento e fez churrasco no dia, tipo pré-festa e ela foi conivente a td isso, com a maior naturalidade do mundo, kkkk. Cúmplices. Fofamente cúmplices. Akles q me trouxeram um dia feliz, daqueles q "às vezes, é muito raro". Obrigada, amores q a vida me traz! Sem me esquecer de agradecer à Tati e ao Ornelas, início do nosso caminhar. 

Fotos: Felipe Matoso
Decoração: Rogério Paulino